O casamento da Andorinha Sinhá

A propósito do estudo de “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá – Uma História de Amor”, de Jorge Amado, a Diana Isabela  do 8.º C, imaginou como terá sido a festa de casamento da Andorinha Sinhá com o Rouxinol, já que o autor deixou que ela ficasse por conta da nossa imaginação – “(…) A Manhã descreveu a festa inteirinha ao Tempo, dando detalhes dos vestidos, das comilanças, da mesa de doces, da ornamentação da sala. Mas tudo isso o leitor pode imaginar a seu gosto, com inteira independência (…)”. Pois, assim sendo, a imaginação da Diana criou esta descrição:

No dia do casamento da Andorinha e do Rouxinol, os pais da Andorinha não deixaram que lhe faltasse nada, pois era o casamento da sua única filha.
A sala estava cheia de flores, e verduras e sentia-se o cheiro a fresco e um aroma muito agradável que vinha da relva do jardim. Num canto da sala, estavam inúmeras prendas para os noivos. As mesas estavam decoradas com toalhas de diversas cores e no centro de cada mesa havia uma jarra com rosas brancas.
Os cozinheiros fizeram muitos molhos, doçarias e muitas variedades de comidas, recheadas de coisas frescas, néctares de flores, alpistas, sésamo, e outras sementes variadas.
Mas a mesa principal, onde se sentavam a Andorinha, o Rouxinol, os pais da Andorinha e os pais do Rouxinol, estava decorada com ervas aromáticas, flores, verduras, velinhas, jarrinhas pequenas, e as toalhas eram brancas de linho e seda fina.
Na festa, havia música para os convidados dançarem e alguns divertimentos para os convidados. A orquestra de pássaros era maviosa e ninguém resistiu a pezinho de dança.
Os vestidos das damas eram compridos e cheios de detalhes, como pedras, rendas, tules e lantejoulas. E os fatos dos homens eram “smokings”, que eles adornavam com um lencinho ou uma flor a condizer com o vestido da respectiva dama.
A sobremesa era constituída por uma grande variedade de doces, champanhe e, claro, pelo bolo maior, que chamava a atenção de todos, lindo e com muitos efeitos – o bolo dos noivos.
No final da festa, houve fogo de artifício com música, e no final, os noivos voaram no cortejo nupcial.
O Gato Malhado assistia a tudo isto, escondido atrás do seu arbusto, com um grande desgosto… o maior desgosto da sua vida…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: