Cogumelos mortais

Cogumelos mortais

A meio do Outono é frequente aparecerem novos seres na Natureza que tiram partido das características naturais do habitat.
Entre eles, os cogumelos são das mais espantosas criações naturais, quer pela sua complexidade genética quer pelo fascínio que têm junto da população.

Chapéu do Amanita Muscaria

Chapéu do Amanita Muscaria, cogumelo venenoso

Paralelamente, o valor económico de algumas espécies leva a uma verdadeira corrida aos cogumelos selvagens.

Diz quem sabe, que são excelentes complementos financeiros para algumas famílias que, em certas localidades do nosso país, se dedicam à sua colheita nos bosques do interior. Muitos são utilizados em iguarias da gastronomia regional ou para a satisfação da gula dos seus captores, outros são exportados. No entanto, temos frequente notícia das consequências nefastas da utilização alimentar dos cogumelos errados.

Costuma dizer-se, em tom de aviso, mas com uma grande carga de humor, que todos os cogumelos são comestíveis, embora alguns o sejam apenas uma vez. Quer isto dizer que alguns são mortais, logo, quem os come só os prova uma vez.

De facto, a toxicidade de muitas espécies é elevadíssima e, em Portugal, existem cogumelos dos mais venenosos. Entre esses, há um que tem atraiçoado inúmeras pessoas que se consideram experientes na sua colheita: o Amanita Phalloides .

Amanita Phalloides

Amanita Phalloides (foto de Fred Stevens)

Só neste Outono registaram-se já mais de dez casos de envenenamento pela ingestão de cogumelos e pelo menos duas pessoas morreram. Os últimos caso ocorreram na semana passada, conforme noticiou alguma imprensa (consultar, por exemplo o JN ou a sua versão online).

Normalmente as toxinas dos cogumelos atacam o sistema hepático (fígado) levando rapidamente à morte. Sem antídotos, o veneno obriga ao transplante hepático e, muitas vezes, se a morte não é imediata e directa, pode ocorrer posteriormente.

O Amanita phalloides (Amanita falóides), segundo descrição de Kuo (2005),  assemelha-se muito a alguns cogumelos comestíveis que se encontram na natureza, no norte do país e essa semelhança é a maior armadilha que esconde. Sendo letal e muito eficaz, geralmente quem os come nunca os tinha experimentado, motivo pelo qual não encontramos ninguém que possa comprovadamente garantir que sejam inofensivas.

Os cogumelos Amanita incluem alguns dos fungos mais famosos do mundo. São reconhecidos pelas suas brânquias normalmente branco-pálidas separadas do tronco, pelos seus esporos brancos e pela presença de um véu a toda a volta. Crescem a partir de uma volva, outro dos traços distintivos da espécie. As tampas ou chapéus são mais ou menos enxutas, ao contrário de outros cogumelos com forma parecida.

Perfil do Amanita Muscaria

Perfil do Amanita Muscaria

 

Amanita Muscaria - Cogumelos recolhidos nos jardins da nossa escola

Amanita Muscaria - Cogumelos recolhidos nos jardins da nossa escola

A espécie Amanita muscaria (mata bois, mata moscas, frade de sapo), apresenta manchas ou verrugas na parte superior e em redor dos limites, tendo um anel no caule. Existem algumas variedades do muscaria, mas o mais exuberante não passa despercebido pela sua cor e beleza. Contudo, é um amanita, potencialmente mortal e garantidamente alucinogénio.

Nos jardins da nossa escola, ao procurarem folhas para utilização em actividades escolares, os nossos alunos encontraram e ficaram fascinados com três magníficos exemplares de Amanita Muscaria, mas nada sabem sobre a sua perigosidade.

Brânquias do Amanita Muscaria

Brânquias do Amanita Muscaria

 

Aqui fica, por isso, um alerta para toda a comunidade. Não toque em cogumelos que crescem na natureza, porque muitos são venenosos, alguns mortais para os humanos mas são todos necessários ao equilíbrio ecológico e à manutenção da diversidade das espécies vivas do nosso planeta. Eles têm uma função bem definida pela Mãe Natureza, deixemos que a cumpram e cumpramos a nossa também, ou seja, procuremos estar informados!

Pode encontrar mais informação em:

Mushroom Expert
Wikipédia
Micobiota Portugal

Fotos: Luís Valente

Kuo, M. (2005, March). The genus Amanita. Consultado em MushroomExpert.Com Web site: http://www.mushroomexpert.com/amanita.html

A meio do Outono é frequente aparecerem novos seres na Natureza que tiram partido das características naturais do habitat.

Entre eles, os cogumelos são das mais espantosas criações naturais, quer pela sua complexidade genética quer pelo fascínio que têm junto da população.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: